Prezados parceiros e Escovadores de Bits!

Muito se fala, publica e discute sobre a Impressora Fiscal, o SAT, a Nota Fiscal Eletrônica e como tudo isso se relaciona e afeta nosso mercado de Software, Impressoras (o ECF) e de Serviços.  Antes de tecer minha opinião e visão sobre este assunto, necessito passar um histórico que irá nortear como pensamos a respeito disso e até que ponto estamos envolvidos em cada uma destas iniciativas recentes.

SCU – Set de Comandos Único

No ano de 2006 havia o esforço para tornar o ECF um hardware padrão em seus comandos: A tão sonhada unificação dos comandos do ECF. Quem mais ganharia com esta iniciativa seria sem duvida as software houses, os desenvolvedores. Na ocasião trabalhamos para entender o processo e os riscos. Nós, Daruma, apoiamos uma solução de UNIFICAÇÃO dos comandos no ECF. Na ocasião tudo apontava de forma eufórica para a unificação através de uma DLL, a chamada DLL Padrão. Mas após analise, o melhor para o mercado era a unificação dentro da impressora, de modo que todas já saíssem de suas fábricas com o mesmo SET DE COMANDOS unificados. Assim, nasceu o SCU – Set de Comandos Único.

Apoiamos o projeto, levamos adiante e a Daruma teve o privilegio de especificar o primeiro set de comandos (SCU-Set de Comandos Único) para toda e qualquer impressora fiscal. Hoje é Lei! Aqui está um “post” histórico desta conquista que foi replicado neste fórum em 11/08/2006 http://www.fivewin.com.br/forum/topic.asp?TOPIC_ID=7699, e neste link você encontra a publicação da lei sobre o SCU: http://www.fazenda.gov.br/confaz/confaz/atos/atos_cotepe/2007/ac010_07.htm

A analise detalhada, sem euforia e bem discutida sobre este tema, proporcionou o melhor resultado para o Mercado: A Unificação dos comandos do ECF no hardware e não em uma DLL.

Esta é a melhor prova de que toda e qualquer solução que aumente e amplie nosso mercado será apoiada pela Daruma, porém sem euforia, através de uma análise cuidadosa e verdadeira no sentido de contribuir positivamente para nosso mercado de automação comercial.

ECF, SAT, Cupom Fiscal Eletrônico, Nfe....


Hoje o Equipamento oficial para ponto de venda e único em todo o brasil, é o ECF. Isso é indiscutível. Todas as iniciativas em paralelo que estão sendo desenvolvidas atualmente são provas de conceito, testes de campo e implementações ainda em fase inicial. A Daruma está participando de todas estas iniciativas, sugerindo, discutindo, apoiando e trazendo novas ideias em todas as frentes, vejam o que já foi realizado:

  • Testes com o SAT-São Paulo GPRS – Buscamos quatro empresas de software em São Paulo no ano de 2009-2010 e participamos de todas as provas de conceito em campo, adequando nossos drivers para rodar com este novo protocolo, permitindo o PDV continuar realizando as vendas e via GPRS enviar das vendas ao servidor do fisco.
  • Testes com SAT-São Paulo Banda Larga – Investimos considerável valor em pesquisa e desenvolvimento na adequação do SAT-Banda Larga para rodar na plataforma Linux, não suportada totalmente e instalamos tal equipamento, entregue e controlado pelo Fisco, para outra prova de conceito em São Paulo em grandes contribuintes.
  • NFe-Rio Grande do Sul -  A Impressora que originou o comprovante não fiscal de venda, a impressão da DANFE no PDV, foi a nossa Impressora a DR700 H, o cupom- DANFE Resumida- que aparece no final da reportagem deste link (http://www.sefaz.rs.gov.br/Site/NoticiaDetalhes.aspx?NoticiaId=4776) foi impresso por uma DR700. Nossa equipe participou e investiu tempo em recompilar os drivers de Linux (únicos no mercado) para rodar no Linux especifico usado na prova de conceito e na versão de linguagem também utilizada na prova de conceito.

Notem que, nós Daruma, estamos participando de forma direta ou indireta em todas as frentes, apoiando cada uma delas e entendendo os benefícios reais que isso traz para nosso mercado. Nesta analise, que não pode ser eufórica, percebemos que existe alguns itens a serem pensados e analisados e para isso convocamos a comunidade de desenvolvedores a participarem mais de perto destas discussões e analisarem estes três pontos abaixo:

  • Unificação das Soluções On-Line: Percebe-se que cada Estado busca uma solução. Porém, para o real ganho em nosso mercado, tal solução necessita ser única, de único protocolo e de único procedimento, assim como é hoje o ECF e o PAF. Ambos, por mais que existam diferenças entre si, são nacionais e universais. Esta unificação evitará que você tenha que no sistema codificar de forma diferente para as várias UFs. Hoje quando você adquire um ECF ele é valido e se comporta idêntico em seus comandos e respostas em todo território nacional. Esta Unicidade é importante para o mercado. A busca de uma solução para venda on-line no PDV requer discussão sobre um protocolo padrão de comunicação para que a operação não seja diferente em cada estado, acarretando geração de diferentes versões de sistemas para cada estado, o que tornaria o dia a dia dos desenvolvedores um inferno. Hoje as soluções apresentadas e testadas estão assim, cada uma usando um meio diferente, basta analisar as três iniciativas que a Daruma apoiou, todas são diferentes em seu conceito e concepção e ainda existe a possibilidade de aparecer outras. Por isso, a importância das software houses se envolverem neste processo de perto, opinar, criticar.
  • Regulamentação: A Existência do PAF, do TEF e do ECF, principalmente do PAF ajudou a filtrar um pouco nosso mercado, e colocar regras claras de operação de sistemas. A inexistência de uma regulamentação clara, abre portas para que não haja mais regras no mercado de software. Hoje este mercado é regrado, possui sua regulamentação e quem possui investimento, desenvolve de forma séria, sofrerá desigualdade por parte daqueles que não tem interesse em trabalhar de maneira seria, buscando apenas diferencial em preço. Em um mercado sem regras, o que prevalece quase sempre é o preço, todo diferencial de esforço técnico aplicado não é levado em consideração. A falta de regulamentação abre as portas para o mundo instalar softwares de automação comercial aqui em nosso mercado, sem regras e muitas das vezes sem investimento sério para o mercado e para o país. O PAF reduzido, resumido, mais aderente ao mercado e on-line em seus testes poderia ser o inicio de uma solução para esta regulamentação. Por isso a importância das software houses se envolverem neste processo de perto, opinar, criticar.
  • Simplificação do ECF: Uma outra vertente que avançou rápido e já está aprovado em lei, é o ECF CONECTADO e mais simples. Este ECF conta com simplificações, como por exemplo a eliminação da Impressão do BitMap na redução Z, a conexão do ECF direto para um servidor para enviar e receber os dados de venda, garantindo a segurança dos dados e a integridade do mesmo. Um sistema de contingência através da MFD, onde caso o servidor esteja fora do ar poderá continuar fazendo os cupons fiscais e quando habilitada a conexão com o  mesmo, o próprio ECF “Dispara” os dados para o servidor. A Simplificação do Lacre e do processo de lacração, passando de físico para eletrônico e lógico, sem a necessidade de arames, alicates, etc.. Tudo isso já está aprovado. Com isso mantemos um padrão, mantemos uma regulamentação e avançamos rápido para uma venda On-Line, direto nos servidores fiscais. Esta simplificação já é realidade, este link do SEFAZ do Maranhão traz mais detalhes sobre este ganho que temos com o ECF simplificado:  http://www.sefaz.ma.gov.br/noticia2/detalhe_noticia.asp?codigo=728

A Daruma está acompanhando de perto cada iniciativa e já realizou investimentos significativos no desenvolvimento das soluções citadas por algumas Unidades da Federação. O Hardware de uso obrigatório a ser exigido pelo Fisco no futuro já foi testado pela nossa engenharia e seguramente para onde o mercado for, lá estará a Urmet Daruma. Meu pedido aos meus parceiros desenvolvedores é menos euforia e mais alerta, maior participação com intervenção da parte de vocês, para que, assim como a unificação do ECF (SCU ) foi benéfica para o mercado, qualquer outra solução de tecnologia fiscal no PDV também seja benéfica e não traga um legado diferente para cada UF, com diferentes formas de tratamento e respostas, isto seria muito ruim para nós desenvolvedores e para o nosso mercado. Existe uma oportunidade única e muito interessante em que todos nós podemos participar, será no Autocom 2012 que ocorrerá no período de 26 a 28 de Junho. Visite o nosso stand no evento e participe do painel que falará sobre o futuro do ECF e do Mercado de Automação Comercial http://www.congressoautocom.com.br/temas.html. , a Inscrição e Investimento para participação neste painel pode ser feita diretamente no site do Autocom2012 www.autocom2012.com.br.

Novamente insisto, hoje o ECF é a solução imediata e única que atende a todos estes requisitos e é ele que deve ser utilizado e indicado, porém participem de perto destas discussões, vale a pena, principalmente vindo dos que fazem hoje este mercado de hardware funcionar, girar e vender: Nós, os Desenvolvedores!

Claudenir C. Andrade Gerente Integração e Desenvolvimento, P&D  
Daruma Developers Community
| MVP Microsoft

Urmet Daruma - Av. Shishima Hifumi, 2911  Pq. Tecnológico (Sala 406) -
São José dos Campos - SP - 12244-000

Skype: claudenir_andrade  | Tels: +55 12 3949 6033  Cel.: +55 11 8137 0262

Site: www.desenvolvedoresdaruma.com.br |Siga a Daruma no Twitter: www.twitter.com/darumadeveloper